Menu topo secundario

Linguagem e comunicação dos leques.

fonte mais fonte menos
Arte do Leque

As mulheres na Dança Flamenco se vestem de forma alegre, sensual, podendo ser vestidos de preferência na cor vermelho, com decotes profundos, ou saias justas modelando o corpo, as blusas com babados, bordados, rendas, e flores e adornos nos cabelos podendo este serem presos em coques,.as vezes acompanhada de mantilha (Xale), a maquiagem é forte e as unhas pintadas de um vermelho rubro, não podendo faltar claro o famoso abanico (Leque).

Produzidos no Oriente, na Europa e no Brasil, os leques, de diferentes materiais e técnicas, retratam cenas mitológicas, campestres e momentos históricos e sociais, entre outros temas.

A provável origem do leque foi a China, onde tornou-se parte integrante do costume nacional, sendo usado pelos reis como um sinal de dignidade. Da China passou para o Japão, onde também foi de uso constante.

O leque integrou, ainda, várias outras culturas: no Egito era uma honra poder- abanar o Faraó; na Grécia, abanar a esposa durante o sono era uma grande prova de amor do recém-casado, garantindo-lhe o perdão por qualquer falta por ventura cometida ... Em Roma haviam escravos especialmente designados para abanarem as patrícias e seus convidados em dias de intenso calor. Também o cristianismo adotou o leque: durante o ofício, dois diáconos, um de cada lado do altar, protegiam o celebrante do calor ... Ao longo dos séculos, os leques foram feitos em diversos materiais e formatos. Primitivamente foram usados leques de folhas, penas, plumas, do feitio de nossas atuais ventarolas, quase sempre de grande tamanho. A partir do século XV começaram a ser usados os leques propriamente ditos, reversíveis ou de fecho, constando de duas partes principais: a armação, pequenas hastes sobrepostas, e a folha, esta em papel, pergaminho, pano pintado (geralmente à guache), rendas e gaze, bordadas com lantejoulas, fios de ouro e dourados.

O uso do leque envolve, ainda, outras funções além do refrescar. Entre namorados e amantes, há toda uma linguagem codificada: tocar levemente os cabelos com o leque significa "não me esqueças”

Os leques difundiram-se por toda a Europa, entre os séculos XVII e XIX, tornando-se um complemento indispensável à vaidade feminina, invadindo os salões e inspirando poetas e pintores. Nas primeiras décadas do século XX eram suntuosas plumas fazendo parte da toalete das elegantes, mas, após este período, com o desenvolvimento das novas tecnologias para refrescar o ar, o seu uso foi se tornando cada vez mais obsoleto, embora jamais tenham perdido em glamour, como objetos de rara beleza.

Na Espanha, além dos vários idiomas, existe um universal: A linguagem dos Leques.

Um leque tem seus "tracinhos". E, para quem não sabe disso, é um perigo! Para quem sabe, uma delícia !

No verão no sul da Espanha a grande maioria das mulheres andam com leques nas mãos.

Nos séculos anteriores o leque era um excelente instrumento de comunicação e sedução entre homens e mulheres. Desde que foi introduzido na Espanha, vindo do oriente, a finais do século XV
Uma pequena amostra desta encantadora linguagem, como mostra a foto ilustrativa:

Foto 1
Foto 1: O número de varillas (varetas) mostra: A que horas?

Foto 2
Foto 2: Fazer movimentos ameaçadores com o leque fechado: Não sejas tão imprudente

Foto 3
Foto 3:Meio aberto com o leque pressionado sob os lábios: Podes me beijar?

Foto 4
Foto 4:As mãos juntas uma sobre a outra com o leque aberto: Escuta-me.

Foto 5
Foto 5:Cobrindo a orelha esquerda com o leque aberto: Não reveles nosso segredo.

Foto 6
Foto 6:Esconder os olhos por trás do abanico(leque) aberto: Te quero.

Foto 7
Foto 7: Abrindo totalmente a frente do corpo: Espera-me.

Foto 8
Foto 8: Movendo o abanico(leque) de forma rápida (se abanando): Você mudou?

Foto 9
Foto 9: Dando volta com o abanico (leque) com a mão esquerda: Estão nos vendo.

Foto 10
Foto 10: Dando volta com o abanico (leque) com a mão direita: Quero o outro.

Foto 11
Foto 11: Se abanando com a mão direita com o abanico (leque) aberto. Esta muito quente.

Foto 12
Foto 12: Se abanando com a mão esquerda com o abanico (leque) aberto: Vamos e me contas.

Foto 13
Foto 13: Movendo entre as mãos: Te odeio.

 

Assim, quando por ventura quando vierem à Espanha e abanarem um leque ou brincarem apenas com ele entre as mãos, cuidado com o que pode acontecer à sua volta.

É verdade que esta linguagem era utilizada pelas mulheres quando eram mais pudicas, ou estavam severamente vigiadas. Mas, ainda hoje, um leque bonito e bem movido dá e delicadeza ao inicio de um novo flerte...ou a um rechaço.

Mesmo que nem todos saibam a linguagem dos séculos passados, um olhar por trás de um leque pode ser entendido por qualquer um, hem?!

Topo
©Copyright - Todos os direitos reservados - DanceOnline - Tel.: (21)9915.5505 ou (21)8161.2405